Dez principais formas de combater o comunalismo

0

Podemos ver o surgimento de forças políticas realmente motivadas pela comunidade em todos os países, incluindo alguns como a Índia. É importante ter em mente que as motivações religiosas podem ser extremamente perigosas e podem resultar em derramamento de sangue. Os carreiristas políticos farão de tudo para colocar em risco a vida dos cidadãos comuns. É por isso que eles não pensarão duas vezes antes de se entregar a atividades venenosas como vomitar ódio contra qualquer comunidade, raça, etnia, religião em particular, etc. Somente se as massas em geral forem racionais e conscientes, elas não serão influenciadas. Esta é uma tarefa difícil, mas deve ser alcançada por meio de trabalho árduo e perseverança por parte de pessoas bem intencionadas. A seguir estão as 10 principais formas de lidar com o comunalismo.

As 10 melhores maneiras de combater o comunalismo:

1 Use a lógica humanística mais simples

Apesar de nossas diferenças, seja um cristão, um budista, um hindu, um muçulmano, um sikh ou qualquer outra comunidade, somos todos feitos de carne e osso. Esta é uma declaração muito poderosa e as pessoas serão capazes de se relacionar com ela sem muita dificuldade. O humanismo atrai a todos, porque a maioria das pessoas acredita em uma abordagem conciliatória pacífica e não violenta quando se trata de conflitos. Somente engajando-se em uma conversa profunda podemos ter certeza se a pessoa está realmente assimilando as informações que estamos fornecendo.

2 Peça às pessoas para serem racionais

A falsificação da história é uma estratégia muito comum dos elementos comunais. Se olharmos para algumas das principais disputas étnicas ou territoriais de hoje, descobriremos que, na maioria dos casos, sempre se resume a algum tipo de contestação sobre espaço, identidade e senso de pertencimento. O Babri Masjid foi destruído de uma forma muito controversa e o mundo inteiro assistiu em estado de choque. A Índia se orgulha de se autodenominar a maior democracia, mas não pode proteger os direitos religiosos da minoria. Além disso, deve-se sempre ler a história objetivamente, de um ângulo materialista. Ficar todo sentimental sobre isso não vai ajudar.

3 Contra o tipo de lógica "Eu estava aqui antes"


Esse tipo de raciocínio não nos leva a lugar nenhum. Um bom exemplo será o conflito entre Israel e Palestina. Ou o cabo de guerra pela Caxemira. O povo da Caxemira não é realmente questionado sobre o que deseja. Em vez disso, a Índia e o Paquistão tentam estabelecer sua hegemonia sobre este pedaço de terra. A história é muito complexa para entrar em detalhes, mas apenas uma coisa será suficiente aqui – que não faz sentido reivindicar quem foi o “habitante original" de um lugar. Podemos continuar voltando no tempo e encontrar alguma comunidade diferente que morava lá!

4 Ser simpático


Sempre que você confrontar uma pessoa que tem uma mentalidade comum, a ideia deve ser sensibilizar imediatamente essa pessoa sobre a condição enfrentada pelo grupo ao qual ela está sendo hostil. Por exemplo, qualquer extremista hindu anti-muçulmano deve ser informado sobre os vários relatórios como os da Comissão Mishra, que mostram claramente como as seções minoritárias são exploradas sócio-economicamente. Alguns podem até ser capazes de criar empatia com base em suas próprias experiências.

5 Compreendendo a complexidade social em sua totalidade


Seria bastante tolo pensar que manter a lei e a ordem usando coerção e força pode realmente ajudar a prevenir distúrbios. Os lugares onde várias comunidades vivem juntas devem ser visitados por pessoas que amam a paz e as interações devem ser encorajadas e iniciadas. As crianças podem se tornar grandes mascotes da paz. Eles têm uma inocência natural que pode capturar o coração da maioria. Mostrar documentários de distúrbios anteriores e da destruição desenfreada de propriedades e de vidas humanas inestimáveis ​​também pode ajudar muito.

6 Construindo solidariedade em vários níveis da sociedade


Várias comunidades permanecem interligadas e interdependentes. Essas redes e canais devem ser explorados exaustivamente. Por exemplo, as pessoas devem ser encorajadas a explorar suas outras identidades além da religiosa. Pode ser nacional ou até bem menor, como de um determinado grupo profissional ou mesmo de uma escola e assim por diante. Quanto mais essas comunidades se envolvem umas com as outras em um nível normal, elas verão que não são muito diferentes em nada.

7 Combatendo preconceitos diariamente


Infelizmente, fomos criados em uma sociedade que não sabe como celebrar a diversidade. É por isso que estremecemos com a perspectiva de ter que dividir espaço com o “outro”. Essa mentalidade também precisa mudar. No entanto, a mente da pessoa também precisa ser receptiva o suficiente. Pedir às pessoas para ficarem calmas e apenas olhar através do prisma do humanismo pode ser muito eficaz.

8 Fomentando uma cultura secular


Existem muitas festas religiosas. Em primeiro lugar, qualquer pessoa de qualquer comunidade pode ser convidada a desfrutar de qualquer festa religiosa. Isso vai quebrar o gelo. Em segundo lugar, deve haver esforços para encorajar formas alternativas de festividades culturais que não estão relacionadas com a religião. Cartazes, pinturas, canções, peças de rua podem ajudar a construir a ponte.

9 Aprendendo com o passado


A história nos ensina a ser pacientes e observadores. Não devemos permitir que as reações automáticas predominem. Por exemplo, na Índia, houve e ainda há um grande alvoroço, com acampamentos ideologicamente divididos, sobre se deveria haver um templo no que é referido como Ram Janmabhoomi por alguns adeptos do hinduísmo, em Ayodhya ou uma mesquita. A experiência mostra claramente que apenas a negociação paciente pode resolver o problema.

10 Visando uma sociedade melhor


Mais importante ainda, é necessário construir uma visão para uma sociedade alternativa, livre desse ódio. A verdadeira democracia significará aceitar a rica diversidade cultural, étnica, sexual e várias outras formas de diversidade em que vivemos. Abraçar o “outro” deve ser o tema desta sociedade melhor. Deve-se tentar descobrir maneiras de alcançar tal existência para realmente tornar nossa vida mais significativa.

Escrito por: Kisholoy Mukherjee

Fonte de gravação: wonderslist.com

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More