10 dicas para facilitar a manutenção do WordPress

5

Se você acha que os sites, uma vez criados, funcionarão efetivamente por toda a vida, você não poderia estar mais errado. Todos os sites, especialmente aqueles baseados em WordPress, requerem manutenção frequente. Se você deseja publicar relatórios de livros de amostra ou escrever blogs no site, você precisa corrigir bugs, atualizar ou lidar com a edição de tempos em tempos.

Você deve se lembrar que você tem um dos sistemas de gerenciamento de conteúdo de código aberto mais poderosos em suas mãos. Se quiser aproveitá-lo ao máximo, é preciso ter alguns truques na manga, para que você possa economizar dinheiro para fins de manutenção.

Tenho lidado com diferentes projetos de desenvolvimento de sites por seis anos. Assim, acredito ter alguma experiência na área de desenvolvimento, customização e manutenção do WordPress. Estarei esclarecendo algumas das necessidades para gerenciar esse sistema extremamente flexível.

1 Faça backups regulares

Se você não deseja deixar a sorte decidir seu destino, então você precisa fazer um backup regular do seu site WordPress. Este é o aspecto mais básico, mas crucial, que você precisa seguir se quiser um site que funcione sem problemas à sua disposição. Você pode fazer backup de seus dados em locais físicos como um computador ou disco rígido externo e também ter um backup adicional na nuvem.

No entanto, se o seu tempo for muito precioso para você, você pode optar pelos plug-ins de backup do WordPress, que fornecem backup automático em um espaço separado no seu computador. Com o backup resolvido, você pode prosseguir para outras formas de ação. Além disso, os backups ajudam a recuperar dados específicos quando você precisar deles em um momento específico.

2 Conserte as páginas 404 e links quebrados

Primeiras coisas primeiro. Se você estiver realizando a manutenção em um servidor remoto, precisará interrompê-la imediatamente. Como a privacidade é de extrema importância, você não deseja expor seus dados a terceiros não autorizados. Depois disso, você precisa corrigir as páginas 404. Se você não deseja alimentar seus visitantes com páginas inexistentes, precisa monitorar o tráfego de páginas 404.

Existe uma solução simples para o problema. Tudo o que você precisa fazer é redirecionar seus visitantes para a página correta por meio de redirecionamentos 301. Você também pode ter a ajuda do Google Analytics ou plugins como o plugin Redirection (especialmente, se você é novo no conceito). Da mesma forma, para melhorar o fator de SEO, você precisa corrigir os links quebrados. Você pode realizar sua tarefa de edição por meio de plug-ins ou ferramentas como o Broken Link Checker.

3 Exclua arquivos e plug-ins desnecessários

Muitas vezes, o site fica lento devido ao acúmulo de arquivos, plugins ou códigos desnecessários. Com o tempo, esses arquivos se acumulam. Se você sentar para remover esses arquivos após 6 meses; torna-se extremamente difícil rastrear esses plugins.

Portanto, é imperativo que você remova os arquivos indesejados assim que terminar. Certifique-se de que qualquer outro desenvolvedor esteja usando seu site, eles também estão fazendo o mesmo. Arquivos PHP, arquivos de mídia não utilizados preenchem a pasta ‘wp-content'. Isso dificulta o funcionamento regular, pois o site precisa carregar todos os arquivos existentes, o que acaba levando à lentidão do site.

Se você deseja simplificar o processo, pode contar com a ajuda de plugins como o Media Cleaner. O plug-in consiste em uma lixeira interna, onde você pode armazenar os arquivos com os quais está trabalhando no momento. Quando tiver certeza de que não precisa de determinados arquivos, exclua-os.

4 Acostume-se a “Git'ing".

Se você ou os membros de sua equipe estiverem relutantes em configurá-lo, faça-o, vale a pena. O controle de versão ajuda a rastrear as mudanças que você faz, separando ramificações para tarefas independentes, etc. O processo fica mais fácil se você estiver usando o Git.

Depois de configurar o Git no servidor externo, use as ramificações. Idealmente, duas filiais são suficientes para sustentar o processo de desenvolvimento e produção. Você tem que fazer todo o trabalho na ramificação de desenvolvimento e, uma vez concluída a tarefa, prossiga para a ramificação de produção. Certifique-se de que tudo no site ao vivo esteja funcionando adequadamente.

5 Incorporar comentários

Você sabia que pode reduzir a carga de trabalho durante o tempo de edição simplesmente incorporando o hábito saudável de “comentar”? Se você e sua equipe adicionarem um comentário ao lado do bloco de código, isso o ajudará mais tarde, quando você tentar descobrir o propósito do código. Por exemplo, você pode escrever uma função com uma especificação detalhada para entender sua função como:

function heapsorting (int) {
return int;
}

Aqui, o bloco significa que você está prestes a ordenar por heap uma ampla gama de dados. Da mesma forma, você pode comentar como:

6 Use Linting para formatar código

Se você deseja executar seu site WordPress perfeitamente, por que não tomar as medidas apropriadas enquanto codifica? Se você não está familiarizado com o Linting, você deve se acostumar com ele. É um recurso dinâmico que estabelece certas regras (Padrões de codificação do WordPress) para a maneira como codificamos. Além disso, também ajuda na formatação do próprio código.

Temos permissão para configurar o Linting para PHP, HTML, CSS e JavaScript. Assim, você pode escrever códigos precisos para obter resultados efetivos nessas plataformas. Por exemplo, se você estiver usando JavaScript, poderá usar linters como JSHint ou JSlint para detectar os erros de codificação. Confira o código abaixo.

7 Atenha-se a um padrão para nomeação de arquivos

Estamos sempre à procura de atalhos e maneiras de reduzir a carga de trabalho. Para facilitar o processo de manutenção, você pode criar um sistema de nomenclatura eficaz para evitar confusão ao lidar com os arquivos ou códigos. É melhor se você se ater a um sistema padrão de nomenclatura.

De acordo com as convenções, você deve manter os nomes de arquivo, função e mídia inequívocos e precisos. Outra maneira útil de nomear os arquivos pode ser usando o tipo do arquivo. Por exemplo, se o arquivo consistir em uma captura de tela de um blog intitulado ‘Edição de genes', você pode nomear o arquivo como ‘geneeditsrceen. png.' Dessa forma, ele ajudará você a navegar em sua pasta e localizar o arquivo. O fluxo de trabalho ficará tranquilo e também ajudará na hora da manutenção.

8 Verifique quais formulários funcionam bem

No mundo prático, uma pequena mudança faz toda a diferença. Se você deseja garantir mais engajamentos em seu site WordPress, verifique o formulário de contato, o formulário de assinatura de e-mail etc. Os formulários precisam ser atraentes, especialmente se você administra um negócio por meio de seu site.

Além disso, você precisa verificar se os formulários estão funcionando corretamente. Por exemplo, você e sua equipe podem tentar enviar e-mails uns aos outros para ver se está funcionando corretamente. Você pode ter que modificá-lo algumas vezes, mas tudo bem. É melhor gastar tempo testando em vez de compartilhar uma forma disfuncional ao vivo.

9 Estrutura Efetivamente Para Editar Instantaneamente

A edição frutífera depende do estilo e recuo dos blocos de código. Ajuda na identificação rápida dos blocos que você deseja editar depois de ter escrito o código inteiro. Portanto, você deve prestar atenção ao CSS, em vez de ficar preso a JS e PHP o tempo todo. Posso dizer por experiência própria que o CSS pode causar muitos problemas se você não for cuidadoso desde o início.

Você deve evitar o uso de estilo inline e implementar uma boa prática de nomenclatura como BEM (Block Element Modifier). Além disso, usar padrões comuns é uma maneira eficaz de estilizar CSS. No entanto, se você estiver preocupado com o desempenho do carregamento, poderá resolver facilmente o problema usando um plug-in de cache, que acomodará vários arquivos em um único arquivo. Confira o exemplo abaixo.

10 Verifique a indexação de sites e SEO

Minha sugestão final diz respeito ao tráfego do site e SEO. Ambos os critérios formam uma parte essencial do processo de manutenção. Você deve verificar se o seu site está indexado nos motores de busca como Google ou Yahoo. Você pode simplesmente fazer isso digitando ‘site:mysite.com' onde ‘mysite' refere-se ao nome do seu site.

Além disso, você precisa verificar a classificação do seu site nos mecanismos de pesquisa após um intervalo regular. Se o site aparecer no topo dos resultados da pesquisa, não há com o que se preocupar. Se não, você tem que monitorar o SEO. Incorporando palavras-chave perfeitas, o PPC (pagamento por clique) na página ajuda a melhorar a visibilidade. Você também pode usar plugins do WordPress como o Yoast SEO para escanear seu conteúdo rapidamente.

A manutenção do WordPress não demora muito se você tiver todas as ferramentas e estratégias necessárias em vigor. Você precisa definir um cronograma de manutenção regular, onde realizará todas as atividades necessárias, como edição de dados, backup, monitoramento de SEO etc. Em caso de problemas, procure a ajuda de outros desenvolvedores que tiveram sua parcela de experiência neste campo.

Aplique as dicas sugeridas acima para colocar seu site em funcionamento e interagir com mais visitantes. Com o tempo, você melhorará e usará o WordPress em todo o seu potencial. Se você quiser compartilhar sugestões ou sua experiência de manutenção, sinta-se à vontade para comentar abaixo.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Consulte Mais informação